quinta-feira, 20 de novembro de 2014

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

sábado, 8 de novembro de 2014

terça-feira, 4 de novembro de 2014

4/11 - Dia do Inventor

Homem é capaz de transformar elementos naturais em instrumentos para dominar a natureza. Ele se tornou apto a enfrentar maiores e mais fortes, valendo-se de pedaços de pau ou pedra como arma. Pôde viver em regiões de climas rigorosos, agasalhando-se com peles de animais, e dominar o fogo. Passou a ter tempo livre para aperfeiçoar as próprias invenções. A descoberta da corda facilitou a obtenção de alimentos sem correr risco de vida. Em seguida, em vez de coletar o alimento, passou a produzi-lo e armazená-lo. A técnica de fabricação de objetos de metal resultou em profundas modificações na vida do homem. O desenvolvimento das máquinas agrícolas acentuou a diferenciação das tarefas dentro do grupo social.
Na segunda metade do século XVIII, as invenções atingiram o máximo, com a Revolução Industrial. Em 1780, James Watt inventou a máquina a vapor, que passou a substituir o trabalho de muitos homens. A Revolução Industrial alterou o caráter da invenção: o inventor, hoje, é geralmente um cientista profissional, contratado por empresas interessadas no aproveitamento de suas pesquisas. A geração da energia elétrica, conseguida após descobertas e invenções, teve como conseqüência um grande incremento na produção em geral.
Contudo, as invenções importantes aparecem, em geral, quando há, de um lado, uma necessidade social voltada num certo sentido e, de outro, um acúmulo de conhecimentos técnicos e científicos, sobre os quais possa haver um avanço. A união inventor e indústria vem se firmando cada vez mais, pois a indústria precisa de novos processos para se desenvolver e o inventor necessita de meios financeiros para prosseguir em suas pesquisas. As grandes invenções ocorridas desde a Revolução Industrial transformaram-se em produtos que, por sua vez, proporcionaram a instalação de grandes complexos industriais modernos. Mas houve uma coisa que o homem ainda não conseguiu inventar e que lhe faria muito jeito: a maneira de convencer quem decide sua maneira de amar ou de aceitar o mundo.

Fonte: CEDI  Universidade Federal de Goiás
http://www.velhosamigos.com.br/DatasEspeciais/diainventor.html

3/11 - Instituido Direito do Voto Feminino

No mês de novembro comemoramos conquistas importantes para o povo brasileiro, entre elas a conquista do direito do voto feminino.

Hoje no Brasil o direito ao voto é assegurado a todos os cidadãos maiores de 18 anos. Mas nem sempre foi assim. Em 1822, um pouco depois da independência do País, só votavam os homens brancos e ricos. Os pobres não tinham esse direito, e os negros eram escravos, portanto serviçais, as mulheres nem pensar.
Faz só 76 anos que a mulher brasileira ganhou o direito de votar nas eleições nacionais. Esse direito foi obtido por meio do Código Eleitoral Provisório, de 24 de fevereiro de 1932. Mesmo assim, a conquista não foi completa. O código permitia apenas que mulheres casadas (com autorização do marido), viúvas e solteiras com renda própria pudessem votar.


Alzira Soriano foi eleita prefeita de Lajes (RN) em 1928
As restrições ao pleno exercício do voto feminino só foram eliminadas no Código Eleitoral de 1934. No entanto, o código não tornava obrigatório o voto feminino. Apenas o masculino. O voto feminino, sem restrições, só passou a ser obrigatório em 1946.

O direito ao voto feminino começou pelo Rio Grande do Norte. Em 1927, o Estado se tornou o primeiro do país a permitir que as mulheres votassem nas eleições.

Naquele mesmo ano, a professora Celina Guimarães --de Mossoró (RN) se tornou a primeira brasileira a fazer o alistamento eleitoral. A conquista regional desse direito beneficiou a luta feminina da expansão do "voto de saias" para todo o país.

Mulheres no poder
Carlota Pereira de Queiroz foi eleita deputada federal em 1933
A primeira mulher escolhida para ocupar um cargo eletivo é do Rio Grande do Norte.
Foi Alzira Soriano, eleita prefeita de Lajes, em 1928, pelo Partido Republicano. Mas ela não terminou o seu mandato. A Comissão de Poderes do Senado anulou os votos de todas as mulheres.
Em 3 de maio de 1933, a médica paulista Carlota Pereira de Queiroz foi a primeira mulher a votar e ser eleita deputada federal. Ela participou dos trabalhos na Assembléia Nacional Constituinte, entre 1934 e 1935.
A primeira mulher a ocupar um lugar no Senado foi Eunice Michiles (PDS-AM), em 1979. Suplente, ela assumiu o posto com a morte do titular do cargo, o senador João Bosco de Lima. As primeiras mulheres eleitas senadoras, em 1990, foram Júnia Marise (PRN-MG) e Marluce Pinto (PTB-RR). Suplente de Fernando Henrique Cardoso, Eva Blay (PSDB-SP) assumiu o mandato dele quando o tucano se tornou ministro do ex-presidente Itamar Franco.
Em 1994, Roseana Sarney (pelo então PFL) foi a primeira mulher a ser eleita governadora, no Maranhão. Em 1996, o Congresso Nacional instituiu o sistema de cotas na Legislação Eleitoral --que obrigava os partidos a inscreverem, no mínimo, 20% de mulheres nas chapas proporcionais. No ano seguinte, o sistema foi revisado e o mínimo passou a ser de 30%.
A primeira mulher ministra de Estado foi Maria Esther Figueiredo Ferraz (Educação), em 1982. Hoje, as mulheres não só estão à frente de vários ministérios como há uma Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres --chefiada por Nilcéa Freire, que tem status de ministra.
Apesar do avanço feminino na política, o Brasil ainda não teve nenhuma mulher eleita presidente. Entre as ministras do presidente Luiz Inácio Lula da Silva está Dilma Rousseff (Casa Civil), cotada como possível candidata do PT à Presidência da República, em 2010. Outra ministra, Marta Suplicy (Turismo) é a favorita dentro do PT para disputar a Prefeitura de São Paulo nas eleições de outubro de 2008. Seu nome também é cotado para a eleição para o governo de São Paulo, em 2010.

Cento e oitenta anos depois, a história mudou e transformou o voto feminino em fator decisivo no quadro político nacional. Nas eleições deste ano o voto da mulher teve um peso muito importante. Ele representou cerca de 51% do eleitorado nacional. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral foram 58.604.626 mulheres contra 56.431.895 homens.

Fontes: Folha Online, Espaço Aberto USP
http://espacoeducar-liza.blogspot.com/2009/11/03-de-novembro-instituicao-do-direito.html

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

31/10 - Dia das Bruxas

Origem da Palavra - Halloween
A palavra Halloween tem origem na religião católica. É uma contração da expressão "Ali Halliows Eve", no inglês atual, "All Hallows Eve", que significa "Véspera do Dia de Todos os Santos".
O Halloween, conhecido no Brasil como Dia das Bruxas, é comemorado na noite de 31 de outubro. No aspecto religioso, essa ocasião é conhecida como a vigília da Festa de Todos os Santos, dia 1º de novembro. Estudiosos de folclore acreditam que os costumes populares do Halloween exibem traços do Festival da Colheita, realizado pelos romanos em honra à Pamona (deusa das frutas), e também do Festival Druída de Samhain (Senhor da Morte e Príncipe das Trevas).
De acordo com a crença, Samhain reunia as almas dos que tinham morrido durante o ano para levá-los ao céu dos druídas, nesse exato dia. Para os druídas, Samhain era o fim do verão e o Festival dos Mortos. O dia 31 de outubro marca também o término do ano céltico.
Período Pré-Cristão
Acreditava-se que os espíritos dos mortos voltavam para visitar seus parentes à procura de calor e provisões, pois o inverno aproximava-se e, junto a ele, o reinado do Príncipe das Trevas. Os Druídas invocavam forças sobrenaturais para acalmar os espíritos maus. 
Estes raptavam crianças, destruíam plantações e matavam os animais das fazendas. Acendiam-se fogueiras nos topos das colinas nas noites de Samhain. As fogueiras talvez fossem acesas para guiar os espíritos às casas dos seus parentes ou para matarem ou espantarem as bruxas. A inclusão de feiticeiras, fadas e duendes nesses rituais originou-se da crença pagã de que, na véspera do Dia de Todos os Santos, havia uma grande quantidade de espíritos de mortos que levavam avante uma oposição aos ritos da igreja de Roma, e que vinham ridicularizar a celebração de Todos os Santos, com festas e folias próprias deles mesmos. Supunha-se que fantasmas " frustrados" pregavam peças nos humanos e causavam acontecimentos sobrenaturais.
Período Cristão
Com o passar dos tempos, a comemoração do Halloween tornou-se alegre e divertida, sem todos aqueles vestígios sombrios e tenebrosos da tradição céltica, tornando-se mais conhecida na América após a emigração escocesa, em 1840. Alguns dos costumes trazidos pelos colonos foram mantidos, mas outros foram mudados, a fim de que houvesse adaptação às novas maneiras de viver.
Como exemplo, temos as Jack-O-Lanterns que, feitas com nabos primitivamente, passaram a ser feitas com abóboras. Essas Jack-O-Lanterns são um dos símbolos mais conhecidos do Halloween e têm sua origem entre os irlandeses.
Outra versão para História do Dia das Bruxas
Nesta versão a  história desta data comemorativa tem mais de 2500 anos. Surgiu entre o povo celta, que acreditavam que no último dia do verão (31 de outubro), os espíritos saiam dos cemitérios para tomar posse dos corpos dos vivos. Para assustar estes fantasmas, os celtas colocavam, nas casas, objetos assustadores como, por exemplo, caveiras, ossos decorados, abóboras enfeitadas entre outros.
Por ser uma festa pagã foi condenada na Europa durante a Idade Média, quando passou a ser chamada de Dia das Bruxas. Aqueles que comemoravam esta data eram perseguidos e condenados à fogueira pela Inquisição.
Com o objetivo de diminuir as influências pagãs na Europa Medieval, a Igreja cristianizou a festa, criando o Dia de Finados (2 de novembro).

Jack-O-Lantern
Conta a lenda que um homem chamado Jack não conseguiu entrar no céu porque era muito avarento, e foi expulso do inferno porque costumava pregar peças no diabo. Foi, então, condenado a vagar eternamente pela terra carregando uma lanterna para iluminar seu caminho.


"Trick or Treat" (Travessuras ou Gostosuras)
A fórmula Trick or Treat também se originou da Irlanda, onde as crianças iam de casa em casa pedindo provisões para as comemorações do Halloween, em nome da deusa irlandesa Muck Olla. As crianças inglesas continuaram esta tradição, vestidas com roupas extravagantes, pedindo doces e balas.
Hoje em dia, principalmente nos EUA, o Halloween é lembrado com muitas festas e alegria. Nessas festas, as pessoas usam máscaras e se vestem como fantasmas, bruxas, Conde Drácula, Frankstein, ou da maneira que achar mais engraçado ou horripilante. As crianças saem às ruas fantasiadas, batendo de porta em porta, pedindo doces e dizendo: "Trick or Treat". Quem não as atende pode ter uma desagradável surpresa, pois elas podem lhe pregar alguma peça

Halloween no Brasil
No Brasil a comemoração desta data é recente. Chegou ao nosso país através da grande influência da cultura americana, principalmente vinda pela televisão. Os cursos de língua inglesa também colaboram para a propagação da festa em território nacional, pois valorização e comemoram esta data com seus alunos: uma forma de vivenciar com os estudantes a cultura norte-americana.
Muitos brasileiros defendem que a data nada tem a ver com nossa cultura e, portanto, deveria ser deixada de lado. Argumentam que o Brasil tem um rico folclore que deveria ser mais valorizado.
Para tanto, foi criado pelo governo, em 2005, o Dia do Saci (comemorado também em 31 de outubro).



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

terça-feira, 28 de outubro de 2014

sábado, 25 de outubro de 2014

25/10 - Dia da Democracia

25/10 - Dia do Sapateiro

O ofício de sapateiro nasceu no momento em que o homem percebeu a necessidade de proteger seus pés. O sapateiro é aquele que com arte e maestria, manuseia artesanalmente: sapatos, sandálias, chinelos, botas, etc., dando-lhes a limpeza, o arranjo e o tratamento adequado que garanta o bem-estar dos pés.
A profissão de sapateiro sobreviveu através dos séculos, sendo transmitida de geração à geração. Antigamente, os sapateiros, além de consertar sapatos, tinham também que fazê-los. Hoje em dia, ainda existe quem procure o artesão de mãos sábias, que faz renascer algo que para nós parece estar muito velho ou acabado.
O sapateiro precisa gostar e ter convicção ao escolher essa profissão tão tradicional, pois como diz a sabedoria popular : "é ingrata a profissão de sapateiro, o artista mete as mãos onde os outros colocam os pés". Um sapateiro que utiliza o processo artesanal, ou seja, faz o calçado sob feito sob medida e à mão, torna-se muito conceituado e bem remunerado, pois o sapato é considerado uma jóia.
Com a industrialização, houve um aumento pelo consumo de calçados e uma difusão do uso, sobre tudo com o aumento das populações urbanas. O processo de construção de formas individuais foi sendo ajustado a um maior número de pessoas, o que levou ao desenvolvimento de uma padronização deste produto.
Este processo foi conduzido pelas fábricas de formas, a partir de um esforço do setor e do governo, sobretudo nos Estados Unidos e na Inglaterra, o que originou seus atuais sistema de medidas padronizadas. É interessante ressaltar que a transformação das oficinas de calçados em indústrias, começou com o excedente de sapateiros que havia no mesmo período da expansão do capitalismo, e por isso, coube à ele, artesão sapateiro, executar todo o processo evolutivo do novo trabalho.
A etapa seguinte foi a da separação de tarefas, a divisão em operações simples e repetitivas que aos poucos foram sendo substituídas por máquinas. Neste momento, o antigo artesão sapateiro que dominava todo o processo de manual do trabalho, perdeu o controle de seu produto e também se tornou uma espécie de profissional em extinção.
Também, nesse processo, existe a importância elaboração do projeto de criação do calçado, que através da especificação de desenhos, tamanhos e de todo conhecimento específico sobre as matérias primas, possibilitou a divisão do trabalho.
O processo de industrialização está intimamente ligado a uma transformação nos meios de produção artesanal, no mercado de trabalho, no perfil da profissão de sapateiro e na concepção do produto. A data escolhida para a celebrar o Dia do Sapateiro, é a mesma da festa dos seus santos padroeiros: São Crispim e São Crispiniano.
Eles eram irmãos, nascidos em Roma e pertenciam a uma família cristã muito rica. Foram para a Gália, atual França, para propagarem a fé em Cristo, onde trabalharam como sapateiros.



sexta-feira, 24 de outubro de 2014

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

20/10 - Dia do Arquivista

20/10 - Dia Mundial da Osteoporose, que não é exclusividade de adultos

No Dia Mundial da Osteoporose, endocrinologista lembra dos perigos da doença em crianças e adolescentes
Ao contrário do que se pensa, a osteoporose – doença caracterizada pela fragilidade óssea com maior susceptibilidade a fraturas -, que tem data mundial em 20 de outubro, não é uma doença exclusiva de adultos. A condição é relacionada a fatores genéticos, ambientais e patológicos e também pode ocorrer em adolescentes e crianças. É o que lembra a endocrinologista do Bronstein Medicina Diagnóstica/DASA, Dra. Rosita Fontes.
Diferentemente dos adultos, nos quais o diagnóstico é estabelecido por meio de densitometria óssea, entre as crianças descobrir a doença pode ser um pouco mais complexo. “Neste grupo etário o exame é um dado complementar, mas não indica, por si só, que há osteoporose. Ao revelar uma massa óssea abaixo do esperado para a idade do paciente, a osteoporose só é confirmada diante de dados clínicos compatíveis”, explica a médica.
Dados como o padrão alimentar da criança, por exemplo, história de imobilização prolongada, doenças crônicas, como algumas doenças intestinais que cursam com má absorção, insuficiência renal crônica, algumas doenças reumatológicas, transplantes e tratamentos com corticosteróides, anticonvulsivantes e imunosupressores, assim como outros casos ocorridos na família podem ser relevantes em auxiliar o médico no diagnóstico.
Mas o dado clínico que mais chama a atenção para chegar ao diagnóstico em crianças é a história de fraturas. Quando estas surgem, já é uma evidência de que existe alteração importante nos ossos. No entanto, provavelmente, a doença já vinha se manifestando por vezes até durante anos, de forma silenciosa, uma característica da osteoporose, que não costuma causar dor ou outro sintoma até que uma fratura ocorra.Estas fraturas podem ocorrer espontaneamente ou após um trauma mínimo. “Uma menina de seis anos atendida em nosso serviço, por exemplo, teve uma fratura no tornozelo apenas ao descer um degrau de escada e um adolescente de 13 anos apresentou fratura de um osso da perna, numa bola dividida em um jogo de futebol. Traumas que, normalmente, não levariam a uma fratura óssea”, diz Dra. Rosita.
“Há ainda casos em que não se consegue estabelecer um fator causal, mesmo quando o paciente apresenta um quadro clínico e densitometria óssea compatíveis. Usa-se o termo osteoporose juvenil idiopática para isso”, afirma a especialista.
Os exames laboratoriais também não encerram a questão por si só: podem encontrar-se normais ou estar alterados. Os denominados marcadores de remodelação óssea, que indicam o processo contínuo de formação e reabsorção normais do osso, são de difícil interpretação nesta faixa etária pois durante o crescimento são mais elevados do que os de adultos . Assim, só são valorizados quando estão muito acima do valor de referência indicado para este último.
O paratormônio (PTH) é produzido pelas glândulas paratireóides, responsáveis pela regulação do metabolismo dos ossos. Este hormônio pode estar aumentado por uma alteração destas glândulas, mas isto é raro em crianças. Mais frequentemente, quando encontra-se aumentado nesta faixa etária, deve-se a causas como as referidas acima, o denominado hiperparatireoidismo secundário, podendo ser reversível com o tratamento.
“Em um estudo realizado no laboratório Lâmina, verificamos que 1% dos casos de hiperparatireoidismo ocorreu em menores de 18 anos. Ao extrapolarmos para a população geral, o dado torna-se significativo por ser, geralmente, decorrente de doenças que irão interferir no crescimento e desenvolvimento dessas crianças.”, afirma a endocrinologista.
Ainda nos casos estudados, chamou a atenção que 42% dos jovens apresentavam hipertensão arterial, sendo os que apresentavam os níveis mais elevados de PTH, sugerindo um possível comprometimento dos rins. Dos demais casos, 12% faziam uso de corticosteróides e outros medicamentos imunosupressores, sabidamente causadores de osteoporose e 7,5% de outras medicações que podem causar a doença. Nos demais casos, não foi possível determinar-se a causa ou mais de um fator foi observado.
Existem tratamentos específicos para os casos em que os jovens apresentem osteoporose, com ou sem hiperparatireoidismo. O acompanhamento médico é imprescindível no diagnóstico e no tratamento da doença.

Fonte: http://opiniaoenoticia.com.br/vida/saude/osteoporose-nao-e-exclusividade-de-adultos/?optin

20/10 - Dia Internacional do Controlador de Tráfego Aéreo

domingo, 19 de outubro de 2014

sábado, 18 de outubro de 2014

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

terça-feira, 14 de outubro de 2014

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

terça-feira, 7 de outubro de 2014

domingo, 5 de outubro de 2014