terça-feira, 21 de dezembro de 2010

21/12 - Eclipse Lunar


 Eclipse total da Lua de 21 de Dezembro, 2010


Grandeza máxima do eclipse: 1,257.

Tempos                               Dia         Hora  (UT)   Dia (local)  Hora

A Lua entra na penumbra    12 21    05:29,4 00      21          03:29,4

A Lua entra na sombra        12 21    06:32,6 00     21           04:32,6

O eclipse total começa        12 21     07:40,8 00    21           05:40,8

Meio do eclipse                  12 21     08:17,0 00    21           06:17,0

O eclipse total termina        12 21      08:53,2 00   21           06:53,2

A Lua sai da sombra          12 21      10:01,4 00   21           08:01,4

A Lua sai da penumbra 12 21 11:04,5 00 21 09:04,5

Tempos marcados como UT estão em Tempo Universal (UT).

A previsão local é baseada em ó fuso horário do seu computador, pelo que a sua precisão depende de uma configuração correta.
Eclipses lunares (tradução BETA)


Os eclipses da Lua ocorrem quando a Terra vem entre o Sol ea Lua. Para que isso aconteça, a lua deve estar em fase cheia, e também encontrarse no plano da eclíptica (o plano orbital da Terra). O plano da órbita lunar está inclinado cerca de 5 graus em relação à eclíptica, eo eixo de intersecção dos dois planos é chamado linha de nodos. Por isso, é dito que os eclipses lunares ocorrem quando a Lua está na linha de nodos no momento da fase cheia.

São Caetano do Sul, 21/12/2010 - 5:20 h
Tipos de eclipse lunar

A terra produz um cone de sombra, no interior do qual o Sol está completamente coberto por nosso planeta, e uma zona de penumbra em que o Sol é parcialmente obscurecido pela Terra. Dependendo da entrada (ou não) da Lua na área de sombra, e que essa entrada seja toal ou parcial, define diferentes tipos de eclipses lunares (ver figura):

■Total, quando a Lua entra completamente no cone de sombra durante o eclipse.

■Parcial, quando a Lua entra na cone de sombra, mas não entra completamente.

■Penumbral, ir à lua no zona penumbral, mas não na sombra.

Nas efemérides dos eclipses da Lua indicam o tipo de eclipse, as circunstâncias relativas a contactos da Lua com as áreas de sombra (se houver) e penumbra, e no instante do máximo eclipse. Foi também dada a magnitude do eclipse, que é definida como a fracção do diâmetro que é obscurecida pela sombra no máximo do eclipse, e indica o nível de um eclipse lunar total. Um eclipse total tem uma magnitude igual ou maior que 1, enquanto que em um parcial é inferior a 1.


São Caetano do Sul, 21/12/2010 - 5:22 h
 Escala de Danjon

Em um eclipse total, a Lua não é totalmente escura, porque a luz do Sol é refratada pela atmosfera da Terra. Isto dá nosso satélite algumas tonalidades marrom-avermelhadas (ver foto), que são a principal atração visual de um eclipse lunar total.

O astrônomo francês A. Danjon estableceu uma escala para classificar os eclipses totais da Lua em função da luminosidade e tonalidade do eclipse, e as características da zona de fronteira entre a sombra ea penumbra:

■L=0. Eclipse muito escuro, a lua é difícil de ver, especialmente no meio do eclipse.
■L=1. Eclipse escuro, cor acinzentado ou castanho. Alguns detalhes da superfície da lua é dificilmente distinguíveis.
■L=2. Escuro ou castanho avermelhado. A sombra central é escura, enquanto que a borda da sombra é moderadamente brilhante.
■L=3. Tono vermelho-tijolo. O limite da sombra é brilhante, e muitas vezes amarelado.
■L=4. Eclipse brilhante de tom vermelho-alaranjado ou cobre. A borda da sombra é normalmente azulejada e muito brilhante.
Embora que os eclipses totais ou parciais são fáceis de ver, os passos na Lua pela penumbra são imperceptíveis, de modo que os eclipses penumbrais são muitas vezes ignorados.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

sábado, 11 de dezembro de 2010

Acordo de Cancún traz esperança, mas deixa de lado o mais importante.

Em termos diplomáticos, os avanços obtidos na conferência do clima da ONU em Cancún são inegáveis. Porém, no que se refere ao futuro do planeta, muito pouco foi conquistado. As metas para redução nas emissões de gases de efeito estufa, o principal instrumento para evitar a elevação da temperatura global em mais de 2ºC, ficaram para depois. E é possível que não sejam definidas nem no ano que vem, na COP-17, na África do Sul.

“No que se refere à questão científica, estamos na mesma situação, pois o que importa é cortar emissões e isso não foi definido”, comenta a professora Suzana Kahn, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, uma das brasileiras a integrar o Painel Intergovernamental de Mudança Climática (IPCC), da ONU. Ex-secretária nacional de mudanças climáticas, ela acompanhou de perto as negociações em Cancún.
Kahn diz que a COP-16 teve o mérito de estabelecer as bases para um acordo global futuro. Mas ela acredita que uma decisão sobre corte de emissões que inclua todos os países não deva ser firmado antes de 2012. “Um segundo período de Kyoto não é suficiente; para não ultrapassarmos o limite de 2ºC é preciso um acordo global e não haverá tempo para isso ser definido em 2011”, opina.
Esperança
O ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc, hoje deputado estadual (PT-RJ), também lamenta a falta de acordo sobre metas de emissão. “Todas as propostas oferecidas pelos países até agora, além do Protocolo de Kyoto, levam a um aumento de temperatura de 3,5ºC, o que significa que vamos ter um cataclisma”, explica.
Mas ele diz que a regulamentação do REDD (Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação de floresta) e do fundo de adaptação representa um avanço significativo. “O acordo de Cancún deixou uma esperança, e não um gosto de frustração absoluta”, conclui.
Veja o que ficou definido na conferência do clima em Cancún
Financiamento
A grande decisão foi sobre o Fundo Verde, que será “a entidade operacional de mecanismos de financiamento da Convenção”. Ele estará sob responsabilidade da ONU, mas terá o Banco Mundial como tesoureiro nos primeiros três anos. Deverá ser governado por 24 países, divididos igualmente, entre ricos e pobres.
O financiamento de começo rápido prevê o destino de U$ 30 bilhões de 2010 a 2012, com uma alocação balanceada entre ações de redução e adaptação. Já a longo prazo ficou decidido que novos fundos devem ser criados em vista às necessidades urgentes e imediatas dos países em desenvolvimento vulneráveis às mudanças climáticas. O texto reconhece o compromisso dos países desenvolvidos em doar U$ 100 bilhões por ano até 2020 e que estes recursos poderiam vir de setores privados e públicos e em acordo bi ou multilaterais.
Adaptação
 A adaptação às mudanças climáticas ganha destaque no pacote, apesar de não contar com ações práticas determinadas. O texto diz que adaptação precisa da mesma prioridade que a redução das emissões dos gases do efeito estufa. Para isso, requer acordos formais para reforçar as ações e suporte à adaptação. O fundo para isso priorizará os países pobres mais vulneráveis, como os países menos desenvolvidos, pequenas ilhas e África.
Emissões de gases de efeito estufa
O pacote não faz referência a um acordo legalmente vinculante de metas de gases do efeito estufa, seguindo Kyoto, a partir de 2012. Ele apenas traz para a discussão as promessas voluntárias de redução apresentadas no Acordo de Copenhague. Vale lembrar que estas metas, se adotadas perfeitamente, não conseguiriam limitar o aumento da temperatura em 2 º C, o que é estabelecido como limite pelo mesmo documento. O texto diz que os países desenvolvidos devem apresentar um relatório anual sobre as emissões e um bienal sobre o progresso da redução de emissão. Também devem estabelecer planos para estimar as emissões geradas pelo homem.
Protocolo de Kyoto
Além dos países concordarem em decidir metas legais o quanto antes e em tempo de evitar um intervalo entre o primeiro e o segundo períodos do Protocolo, o texto sobre o Protocolo ainda reconhece que todos os países desenvolvidos, como um grupo, devem reduzir suas emissões de 25% a 40% comparado com 1990 até 2020. Para alcançar este objetivo, pede que os países aumentem suas ambições de redução de emissão de gases do efeito estufa, para além das promessas de Copenhague.
Transferência de tecnologia
 Em relação à transferência de tecnologia, a definição principal é dar prioridade aos países menos desenvolvidos, desenvolvendo tecnologia nestes países e em parceiras bi ou multilaterais. Os países ricos devem desenvolver e organizar tecnologia, incluindo pesquisa cooperativa e programas de difusão de tecnologias e conhecimento em países em desenvolvimento, além de acelerar estas ações.

REDD (Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação de floresta)
O pacote balanceado também determina regras para a criação do REDD (Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação de floresta), que proveria recursos para os países preservarem suas florestas (grandes armazenadores de CO2). Estima-se que 20% de todas as emissões atuais sejam causadas pelo desmatamento, sendo que Brasil e Indonésia possuem os maiores índices no mundo.
As chamadas salvaguardas, o respeito ao conhecimento dos povos indígenas e comunidades locais e sua participação como parte integrante, devem ser apoiadas. A mensuração ou verificação destas políticas de salvaguarda foi retirada do texto, um pedido de brasileiros. Esta é uma importante medida para o Brasil, pois, de acordo com a ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira, “dá outra perspectiva para discutir políticas públicas internacionais sobre o tema”. O país já possui um “precursor” do REDD, o Fundo Amazônia, que recebe doações por diminuir o desmatamento da floresta.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/2010/12/11/acordo-de-cancun-traz-esperanca-mas-deixa-de-lado-o-mais-importante.jhtm

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Lista do Oscar - 2010

Os Melhores Alunos de 2010
1A - Ana Maria Ap Silverio de Lira - Nota 10   
1B - Amanda Oliveira de Brito - Nota 9
1C - Maria Gabrielli Pereira Leal - Nota 10
        Priscila Maria Rocha da Silva - Nota 10
        Sheila dos Santos Alves - Nota 10
1D - Jessica de Souza Calixto - Nota 8
        Sidney Pereira da Silva - Nota 8
1F - Allison Silva de Carvalho - Nota 8

2A - Monique Paiva Medieros - Nota 9
2B - Antonio Carlos Paes Vieira - Nota 8
2C - Carina da Silva Santos - Nota 9
2D - José Denis Alves da Silva - Nota 9
        Johnathan Moreira da Silva - Nota 9
2E - Mayara Cunha da Conceição - Nota 7
2F - Barbara Carrera Lopes - Nota 10

3A - Yohan Vieira Duarte Torre - Nota 9
3B - Bruno Sabino de Deus - Nota 10
3C - Ivanilda dos Santos Silva - Nota 9
3D - Mariana Dandara de Souza - Nota 9

Os Melhores Alunos da Série
6a. Série/ 7o. Ano
Danielly R da Silva             
Eveline O Quadrado

1a. Série 
Ana Maria Ap Silverio de Lira
Maria Gabrielli Pereira Leal
Priscila Maria Rocha da Silva
Sheila dos Santos Alves
2a. Série 
Bárbara Carrera Lopes

3a. Série 
Bruno Sabino de Deus
Melhor Aluno de Biologia de 2010
Bruno Sabino de Deus


Parabéns a todos que alcançaram o objetivo!!
Lembrando que a sua participação em sala é o quesito mais importante durante cada um dos bimestres!

E a todos, sucesso para o próximo ano letivo!!!

Feliz Natal, Próspero 2011!!!
E boa recuperação para os necessitados!!!!
Saudações biológicas!!!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Adestramento de Cães

Como funciona o cérebro dos cães durante o adestramento.
Vídeo exibido na série CANIL DA PM.

Gases de efeito estufa alcançam níveis recordes, segundo OMM

Genebra, 24 nov (EFE).-
Os principais gases de efeito estufa alcançaram níveis recordes, apesar da recessão econômica dos últimos anos, advertiu nesta quarta-feira a Organização Mundial da Meteorologia (OMM).
Em seu relatório anual divulgado nesta quarta-feira, que se baseia em dados referentes a 2009, a OMM destaca que houve um aumento na atmosfera da concentração de dióxido de carbono, metano e óxido nitroso - os principais gases de efeito estufa - de 27,5% entre 1990 e 2009, e de 1% entre 2008 e 2009.
"E se não tivessem sido tomadas medidas para sua redução a nível mundial, as concentrações estariam ainda maiores", ressaltou o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud.
O relatório foi divulgado a cinco dias do início de uma nova conferência da ONU sobre mudança climática em Cancún (México), onde a comunidade internacional debaterá medidas para reduzir as emissões e o aquecimento global.
Segundo a OMM, nos últimos dez anos a concentração de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera aumentou a um ritmo anual de 1,88%.
A organização afirma que antes da Revolução Industrial, que começou em meados de século XVIII, o CO2 se mantinha a níveis quase constantes de 280 ppm.
Desde 1750, a concentração de CO2 aumentou em 38% principalmente por causa da queima de combustíveis fósseis e do desmatamento.
Já as concentrações de metano aumentaram 158% desde 1750, devido principalmente ao aumento da criação de gado, do cultivo de arroz, da queima de combustíveis fósseis e dos lixões.
A OMM ressalta que 60% das emissões de metano são de origem humana, e os 40% restantes procedem de fontes naturais.
O relatório adverte que o aquecimento da Terra poderia provocar um aumento das emissões de metano nas regiões árticas, o que é motivo de grande preocupação para a organização.
"O permafrost (solo congelado) das regiões setentrionais contém grandes reservas de carbono orgânico e de clatratos de metano. Um aquecimento rápido e o derretimento do permafrost podem resultar na emissão de grandes quantidades de metano à atmosfera, o que contribuiria ainda mais para o aquecimento da Terra", ressaltam os especialistas.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/efe/2010/11/24/gases-de-efeito-estufa-alcancam-niveis-recordes-segundo-omm.jhtm

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Invasão das espécies invasoras!

Existem diversos exemplos de aumento da biodiversidade associado com a introdução de novas plantas e animais em ecossistemas onde não são nativos.
Por Ronald Bailey


Este é um fato que suspeito ser desconhecido pela maioria das pessoas: aonde quer que seres humanos tenham ido nos últimos dois séculos, aumentamos a biodiversidade local e regional. Biodiversidade, neste caso, é definida como a riqueza de espécies. Por exemplo, mais de 4 mil espécies de plantas introduzidas na América do Norte durante os últimos 400 anos crescem selvagemente aqui; elas agora constituem quase 20% da biodiversidade de plantas vasculares do continente.
No entanto, “a visão popular é que a diversidade está diminuindo em escalas locais”, como os biólogos Dov Daz da Universidade Brown e Steven Gaines, da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, observaram em um artigo publicado em 2003 pelo periódico Trends in Ecology and Evolution. E um dos supostos culpados pela suposta perda de diversidade é a competição das espécies invasoras — ou seja, plantas e animais introduzidos em ecossistemas onde não são nativos.
Oponentes das espécies invasoras temem que forasteiros agressivos acabem com as espécies nativas. Isso pode parecer razoável, pois existem algumas poucas espécies, como kudzu, salgueirinha roxa e jacinto de água, que se reproduzem a uma velocidade alarmante onde quer que apareçam. Mais isso não significa que outras espécies estão necessariamente em perigo. “Não existem evidências de que sequer uma única espécie residente de longo prazo tenha sido levada à extinção, ou mesmo extirpada dentro de um único estado norte-americano, por causa da competição de uma espécie de planta introduzida”, observou o biólogo Mark A. Davis, do Macalester College, no periódico BioScience, em 2003.
Contudo, essa ameaça de extinção espúria é uma das principais razões dadas para a prevenção da introdução de espécies exóticas em novas áreas.
Existem diversos outros exemplos de aumento da biodiversidade associado com a introdução de novas espécies. Plantas vasculares trazidas de todas as partes do mundo dobraram a riqueza de espécies de plantas na maioria das ilhas do Pacífico. A biodiversidade de algumas ilhas aumentou tanto que agora se aproxima da riqueza da área continental. Na Nova Zelândia, desde que a ocupação europeia iniciou há 160 anos, 2 mil espécies de plantas introduzidas se juntaram às 2 mil espécies nativas, e apenas três espécies de plantas nativas foram extintas. A abertura do Canal de Suez introduziu 250 novas espécies de peixes do Mar Vermelho no Mar Mediterrâneo. Apenas uma extinção ocorreu.
Pesquisadores encontram aumentos de riqueza de espécies também a nível local. Sax e Gaines citam estudos que encontraram que uma região de West Lancaster, na Grã-Bretanha, experimentou um dramático aumento de diversidade de espécies de plantas durante os últimos 200 anos, ganhando 700 espécies exóticas e perdendo apenas 40 nativas. O movimento de espécies entre ecossistemas aumentou levemente a diversidade de répteis e anfíbios na Califórnia e aumentou significativamente a diversidade de peixes de água doce em muitas drenagens em todos os Estados Unidos. A diversidade de mamíferos aumentou em muitas ilhas oceânicas, na Austrália e na América do Norte, graças às espécies introduzidas.
Exceção à regra
Algumas espécies introduzidas causam danos ao meio ambiente. Elas se tornam pestes (ou seja, se estabelecem onde não as queremos) ou causam doenças em pessoas ou criaturas com as quais nos importamos. Mas a grande maioria das espécies introduzidas se mistura de maneira mais ou menos discreta com as nativas. A principal objeção à propagação de espécies não nativas parece ser estética.
O biólogo Phillip Cassey, da Universidade de Birmingham, por exemplo, responde à evidência da crescente biodiversidade local e regional reclamando que muitos dos pássaros que um visitante do Reino Unido pode encontrar na Nova Zelândia são as mesmas espécies que ele encontra no seu país. “O mesmo ocorre com floras e faunas ao redor do mundo”, Cassey e três coautores lamentaram no periódico Austral Ecology em 2005. “É o equivalente biológico de voar de Seattle para Paris e ir ao Starbucks comprar café”.
Que seja. Mas isso não é um argumento científico. Como Sax e o biólogo James Brown, da Universidade do Novo México, responderam a Cassey e seus colegas a respeito do mesmo assunto de Ecologia Austral, se os efeitos de espécies introduzidas “são consideradas positivos ou negativos, bons ou maus, é mais um julgamento de valor subjetivo do que uma descoberta científica objetiva. Cientistas não são mais qualificados para fazerem tais decisões éticas do que pessoas leigas”. Phillip Cassey pode querer beber o seu café au lait no Les Deux Magots enquanto outros desfrutam de umVenti Café Misto nos arredores de um familiar Starbucks parisiense. A ciência não tem nada a dizer sobre qual é a melhor escolha.
No entanto, razões estéticas ainda são razões, e a ciência pode ser validamente implantada ao seu serviço. Algumas pessoas podem preferir paisagens restauradas à condição anterior à introdução das espécies de fora. Como Davis e o biólogo da Universidade Stony Brook, Lawrence Slobodkin, observaram em um artigo de 2004 para a Restoration Ecology, a arquitetura usa matemática, física e engenharia para alcançar objetivos estéticos e sociais. “Talvez ‘arquitetura ecológica’ possa ser uma caracterização mais apta do trabalho da restauração ecológica”, eles sugerem, “porque o termo reconhece o papel central desempenhado tanto pelos valores quanto pela ciência”.
A boa notícia da biologia, como Davis observa em seu artigo na BioScience, é que “a globalização da biota da Terra não nos levará a um mundo composto de mexilhões zebra, kudzu e estorninhos”. No futuro, diferentes regiões do mundo serão mais similares nas suas floras e faunas, ele conclui, mas “ao mesmo tempo, elas se tornarão mais diversas, em alguns casos muito mais diversas.”

Fontes: Reason.com - Invasion of the Invasive Species!
http://opiniaoenoticia.com.br/vida/meio-ambiente/invasao-das-especies-invasoras/?optin

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Novo Enem para quem teve problemas com caderno amarelo será na 1ª quinzena de dezembro

O MEC (MInistério da Educação) divulgou nesta sexta-feira (19) que o novo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2010, a ser aplicada aos candidatos que tiveram problemas com o caderno de provas amarelo, vai acontecer na primeira quinzena de dezembro. O dia exato deve ser divulgado até o dia 24 de novembro.
Após a divulgação dos problemas -questões faltavam estavam repetidas na prova amarela- o órgão já trabalhava com as datas de 27 e 28 de novembro ou 4 e 5 de dezembro. Ainda está sendo apurada a quantidade de candidatos que poderão repetir a prova. O MEC diz que avisará os alunos que tiverem direito por SMS, e-mail, telefone ou carta.
Nesta sexta, o ministro Fernando Haddad fez uma vídeoconferência com representantes do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) e do consórcio Cespe/Cesgranrio, responsáveis pelas provas. É o consórcio que está fazendo a análise das 116.626 atas dos locais de prova.

Só faz a nova prova quem o MEC identificar que foi prejudicado
Com a derrubada da decisão, ontem (18), que permitia que qualquer um que se sentisse prejudicado refizesse a prova, o MEC diz que o calendário da prova continua seguindo o planejamento inicial. Nesta sexta, à 0h, termina o prazo para que o candidato peça a correção invertida da folha de respostas.
A suspensão da liminar foi determinada pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, desembargador Luiz Alberto Gurgel de Faria. Na decisão, ele afirmou que poderia causar "grave violação à ordem pública" deixar que o próprio candidato se dissesse prejudicado sem nenhum filtro do Estado. Faria disse, também, que alterar o cronograma fixado pelo MEC causaria atraso no cronograma do Enem.
Faria disse, ainda, que "não se pode admitir que paixões a teses jurídicas venham aflorar e contaminar o Judiciário, a ponto de se pretender a reforma de decisão por quem não possui competência para tanto", em referência à primeira liminar, derrubada pelo próprio desembargador, que suspendia o exame.

Estudantes fecharam a Paulista, em protesto; veja mais imagens
Problemas com o exame
O Enem 2010 está sendo marcado por disputas judiciais. A Justiça suspendeu o Enem 2010. No dia 8 de novembro, a juíza Karla de Almeida Miranda Maia, da 7ª Vara Federal do Ceará, acatou argumento do MPF (Ministério Público Federal) e determinou a imediata suspensão do Enem 2010 em todo o Brasil. A Justiça entendeu que o erro de impressão das provas levou prejuízo aos candidatos.
Estudantes identificaram problemas nos cadernos de provas e nos gabaritos do Enem, que foi aplicado nos dias 6 e 7 de novembro. Nos cadernos amarelos, havia questões repetidas e faltantes. Já nas folhas de resposta, os cabeçalhos dos testes de ciências da natureza e ciências humanas vieram trocados.
Depois da suspensão em 1ª instância, o MEC e o Inep questionaram a amplitude da decisão, ao que a juíza esclareceu que todo o processo deveria ficar suspenso. Isso incluía a divulgação do gabarito no final da terça-feira e a abertura de sistema de reclamação sobre o preenchimento dos gabaritos, previsto para a quarta (10).
Mesmo com essa decisão, o procurador da República no Ceará, Oscar Costa Filho, pediu a anulação do Enem. "A prova tem que ser nula, independentemente de qualquer coisa", afirmou o procurador, que defende uma apuração criteriosa das responsabilidades pelas falhas.
A DPU (Defensoria Pública da União) do Ceará se juntou ao MPF (Ministério Público Federal) do Estado no pedido de anulação do Enem.
No dia 11 de novembro a AGU protocolou o recurso contra a suspensão do Enem. Na sexta-feira (12), o TRF da 5ª Região cassou a liminar que suspendia o Enem. A decisão foi tomada pelo desembargador Faria.
Fonte: http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/11/19/novo-enem-para-quem-teve-problemas-com-caderno-amarelo-sera-na-1-quinzena-de-dezembro.jhtm

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Eletroforese

Na atividade de recuperação para o segunda série do ensino médio foi abordado a técnica de eletroforese.
Mencionei alguns vídeos e a atividade realizada de extração de DNA de morango e banana.
Mas segue abaixo alguns links de animação pertinente ao tema.

Eletroforese - Animação

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Estudo revela que petróleo derramado pela BP entrou na cadeia alimentar

Washington, 8 nov (EFE).
Os mais de 4,9 milhões de barris de petróleo que vazaram no Golfo do México em um acidente com a BP entraram rapidamente na cadeia alimentar graças à ação das bactérias submarinas, segundo um estudo publicado nesta segunda-feira.

Os pesquisadores do Dauphin Island Sea Lab (DISL) em Alabama, nos Estados Unidos, propuseram-se a pesquisar uma das principais dúvidas que surgiram depois que o acidente na plataforma da BP provocou o vazamento no Golfo do México em 20 de abril: "Onde havia ido parar o petróleo derramado?".
As conclusões foram publicadas nesta segunda-feira na revista científica "Environmental Research Letters" e revelam que o petróleo entrou na cadeia alimentar.
"Uma proporção muito grande do petróleo certamente foi consumida por micróbios, que por sua vez são comida para outros organismos maiores", disse o pesquisador William Monty Graham.
Graham e sua equipe comprovaram que os animais que se alimentam de plâncton apresentavam uma quantidade maior de um isótopo de carbono leve que de outros mais pesados, o que os levou a crer que o carbono do qual se alimentavam procedia do petróleo.
Segundo o cientista, o petróleo contém uma porcentagem maior de isótopos de carbono 12 que de carbono 13, que são mais pesados.
Para analisar a dieta dos habitantes do Golfo do México, os cientistas usaram redes especiais para pegar amostras do plâncton em quatro localizações situadas entre as águas mais superficiais do litoral de Alabama e outras mais profundas, entre o início de junho e meados de agosto.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/efe/2010/11/08/estudo-revela-que-petroleo-derramado-pela-bp-entrou-na-cadeia-alimentar.jhtm

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Equipe encontra corais mortos; causa pode ser óleo derramado pela BP

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Cientistas dos EUA disseram ter encontrado sinais de corais danificados provavelmente pelo óleo derramado pela BP (British Petroleum), mesmo a vários quilômetros de distância do local onde ocorreu o acidente.
A  equipe realizou a inspeção com veículos operados a distância, que mergulharam a 1.400 metros de profundidade do mar. Foram encontrados corais já mortos ou em processo de decomposição, cobertos por uma substância de cor marrom.
Diretora do Instituto Biológico de Conservação Marinha, Sandra Brooke mostra coral morto provavelmente por óleo
Testes adicionais serão realizados pela Noaa (sigla em inglês da Agência Americana para Oceanos e Atmosfera) para determinar se a substância é mesmo óleo e se veio da plataforma de petróleo da BP, que explodiu em abril e liberou cerca de 4,9 milhões de barris nas águas do golfo do México.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/825985-equipe-encontra-corais-mortos-causa-pode-ser-oleo-derramado-pela-bp.shtml

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Duas Caras

Com quantas caras se constrói um político? Ou quantas caras um bom político deve ter? E um mau político?
Por Claudio Schamis


Agora não tem jeito. É o que temos: Dilma ou Serra. Um dos dois entra, queira você ou não. Por isso, não posso afirmar com todas as letras que temos duas caras para escolher.
A outra questão que diz respeito a quantas caras cada um tem, aí já é outro departamento.
Dilma acha que Serra é o “homem das mil caras” e olha que nem plástica ele fez. Já a Dilma…
Mas isso não vem ao caso. Vem ao caso a Dilma ter falado uma coisa sobre aborto em 2007 e agora que os holofotes, eleitores e microfones se voltam para a figura emblemática dela, ela muda o tom e a sua fala. Não considero ser uma mudança de opinião, que pode acontecer com qualquer pessoa. As pessoas mudam, amadurecem e reveem muitas vezes seus valores.
Dilma não. Ela passa aquela coisa de que se ela continuar pensando daquela forma ela pode perder votos desse ou daquele segmento que defende justamente o contrário do que ela prega ou pregava. Vai saber? Então ela começa a defender o que é melhor para a sua imagem. E já até falam em retirar o tema aborto do programa de governo. Bonito isso!!
Isso então faz com que ela seja a “mulher de duas caras”? Ou teria Dilma mais caras ainda?
Lula então não saberia dizer quantas caras tem.
O que ele fez e como age é exatamente como tem agido a (cópia) pupila-candidata-querida-e-adorada-idolatrada-Salve-Salve. Enquanto ainda era operário, Lula não queria nem saber se o mundo estava em crise, se a inflação estava alta, se os juros estavam pela hora da morte, se o FMI estava com dor de barriga ou se o presidente em exercício estava com dor de dente, nem se o empresário não estava vendendo nada. Ele pregava aquilo que achava que era o certo para o trabalhador e não queria ver o lado do empresário nem de ninguém. E quando se tornou presidente, começou a pregar outra coisa. A posição dele mudou completamente.
E para exemplificar isso, Lula teve então coragem de pedir, em certa ocasião, que os trabalhadores se sacrificassem um pouco, que não era hora de pedir aumento, que era hora de todos se unirem por um bem maior, pois o mundo estava em crise, a dor de barriga do FMI ainda não tinha passado e o presidente tinha que manter a imagem de “homem do ano”, “homem do século”, “homem que estaria promovendo uma mudança histórica-política no mundo” e o título de “o cara”. Afinal Lula é LULA, o mito. O filho do Brasil.
Em outras palavras, ele começou a pregar o que a “outra” cara dele dizia. O seu outro lado.
E isso me preocupa. Essas mudanças radicais de posição são difíceis de engolir. E são, como disse, preocupantes. Vai que amanhã Dilma acorda, no caso de eleita, achando que o que ontem Lula achava importante e ela afirmou que iria dar continuidade não vai mais rolar? Como ficarão os milhões que acreditaram nela?
Prever isso é impossível. Se tivéssemos como fazer certo tipo de seguro. Vai que?
Não quero dizer que Serra seria incapaz de fazer o mesmo. Mas o caso da Dilma me preocupa mais, justamente por saber quem está trabalhando nos bastidores. São nomes conhecidos e que deveriam ser temidos. É só perguntar pro Zé. Mas isso os eleitores fanáticos do Lula não veem, ou fingem que não faz diferença, afinal, a Dilma é o Lula mesmo. Vai acabar dando no mesmo. Vai tudo continuar como está e se está bom, pra que mudar, né?
Ledo engano. Mas fazer o que?
A grande preocupação de ambos os candidatos agora é a Marina, que foi a grande surpresa dessa eleição. E a outra grande preocupação de ambos os candidatos é partir para o tudo ou nada. Para o confronto, para o vale-tudo.
E minha grande preocupação é, e agora José?
Sabemos que tem uma pedra no meio do caminho. No meio do caminho tem, sim, uma pedra.
Mas a questão principal é que “João” amava “Teresa” que amava “Raimundo” que amava “Maria” que amava “Lili” que não amava ninguém. E quando uma pessoa não ama ninguém ela é capaz de qualquer coisa, pois sem amor a mente fica vazia, e uma mente vazia pode destruir uma nação.
Salvem as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambientes fechados.

Duas Caras! » Opinião e Notícia

Duas Caras! » Opinião e Notícia

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Menos Um Carro em Cortando Estrada de Bike - 1

Desafios existem para ser superados. Alguns se apresentam, outros inventamos. Há saídas mais fáceis? Sempre há! Mas enfrentá-los e poder dizer? Fiz. Estive. Comprovei. Experimentei. Cheguei até o fim. Dei o meu máximo. É a chave para vencer, quaisquer desafios. E para mim, a mágica de sentir-se viva.
O de vocês, provavelmente, no momento, é definir sua carreira, sua faculdade ou mesmo para alguns, talvez ir bem na feira cultura e poder passar de ano. Mas independente do que for. É seu desafio. Então superá-lo, tem que ser sua meta!
A minha meta era sobreviver a 60 dias sem CNH. Existe ônibus, existe caminhadas, existe carro (apesar do meu vizinho ser o rapaz do CIRETRAN, ohh vida.. ohh céus, ohh azar!). Mas por que não adotar a bike! Adotei-a! Loucura para alguns, esporte para outros, meio de transporte para mim.
Mas restava a dúvida. Será que isso me levaria um pouco mais longe??? Outro desafio. Suspense!!!!
Um compromisso o lançou em  meu caminho. Curso no bairro Nova Petrópolis em São Bernardo do Campo. Consulta rápida no Google, informa: 12 km para ir, 13 km para voltar. Respeitáveis 25 km. 
Para uma alma menos sedenta por desafios era só caminhar 1,5 km para pegar o TRANSBUS (superlotado neste horário - 7 da madrugada!) e mais uns 2 km do ponto até a escola. Cálculo rápido: 6 km de caminhada. Ao final, na melhor das hipóteses eu estaria amassada, suada e descabelada... Logo, de bike é a opção mais inteligente! (ou não!!! Para os de casa, em unânimidade, que não seria). .rs
Mas bem, resumindo as desventuras e aventuras de hoje!
*  6:50 comecei a pedalar.
*  7:30 h cheguei ao destino.
* Na hora do café encontrei a Prof. Silvia de Educação Física e a constatação nada surpreendente. Fiz o trajeto em menor tempo que ela de ônibus.
* Retorno saindo as 11:30 da Escola Tereza Delta.
* Chegada às 12:20 pelo percurso mais longo afinal novos desafios são estimulantes.

Moral da história: Não esmoreça frente aos seus desafios. Quando a sociedade disser: "Você não consegue!" Sejam quais forem os motivos, mas você acredita que pode, então pode! Estude, Trabalhe, Construa, Vença!
 E acima de tudo. Faça o que te fizer feliz, o que te dá prazer!

Saudações biológicas e ecologicamente corretas! (mas eu cansei, viu!!!) rs 

sábado, 9 de outubro de 2010

Animais vêem extinção em massa se aproximar

Corais, mamíferos e espécies tropicais podem ser extintos em futuro próximo, segundo cientistas que estudam o que ocorreram com estes animais no passado para prever seu futuro. As informações são da Discovery News.

Um fator que complica a previsão dos cientistas é que nenhuma extinção em massa ocorrida previamente na Terra foi causada por apenas uma espécie. Em período de mais de 500 milhões de anos, apenas três extinções deste gênero ocorreram e nenhuma foi tão devastadora como a que está para acontecer por culpa dos humanos.

Pesquisadores do Departamento de Ciências biológicas da Universidade Macquarie, nos Estados Unidos, pesquisaram dados de mais de 100 mil fósseis coletados por todo o mundo, para chegar à maior extinção em massa já ocorrida na Terra, no período Permiano-Triássico, há 250 milhões de anos.

Nesta época, um dos mais importantes grupos de animais eram os corais, que quase foram extintos no período. Há pouquíssimos fósseis de corais datando desta época. Portanto, entende-se que eles recuperaram sua diversidade com o passar dos anos. Mamíferos de grande porte e plantas tropicais também podem sumir em futuro próximo, graças à ação humana.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI4716527-EI8147,00-Pesquisa+descobre+mil+especies+n+pode+chegar+a+mil.html

Outras matérias interessantes: Pesquisa descobre 1,2 mil espécies e o número pode chegar a 6 mil.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

A evolução sendo analisada!

Atualizando o que conversamos a algumas aulas atrás sobre exemplos de evolução, segue anexo texto para leitura complementar.

"As mariposas Biston betularia
Por Rubens Pazza, Dr.,
2004.


As mariposas salpicadas Biston betularia representam talvez a mais bem conhecida estória na biologia evolutiva. Entretanto, alguns mal entendidos têm fornecido aos criacionistas um prato cheio para dissertações contra a evolução.
Antes da revolução industrial na Grã Bretanha, a forma mais coletada destas mariposas era a clara, salpicada. A forma melânica, escura, foi identificada pela primeira vez em 1848, perto de Manchester, e aumentou em freqüência até constituir mais de 90% da população de áreas poluídas em meados do século 20. Em áreas despoluídas, a forma clara ainda era comum. A partir dos anos 1970, entretanto, em decorrência de práticas conservacionistas e conseqüente diminuição da poluição, a freqüência das formas melânicas diminuíram drasticamente, de cerca de 95% até menos de 10% em meados dos anos 90.
Desde 1890, vários trabalhos tentam explicar os fenômenos envolvidos no aumento da freqüência da forma melânica, como efeito da cor sobre a eficiência térmica, indução das formas melânicas por efeitos diretos da poluição, entre outros diversos fatores atuando sozinhos ou em conjunto. Em meados dos anos 50, Kettlewell explicou a mudança na freqüência pela ação da caça visual por pássaros. A forma melânica ficava melhor camuflada no tronco de árvores em regiões poluídas, onde a fuligem matou o líquen. Por outro lado, as mariposas salpicadas ficavam melhor camufladas em áreas despoluídas. Alguns autores, entretanto, afirmam que B. betularia raramente permanece no tronco das árvores durante o dia, preferindo regiões mais altas e protegidas. Recentemente, experimentos simulando a visão dos pássaros demonstraram que os líquens efetivamente promovem uma boa camuflagem para as formas salpicadas. Alguns estudos identificaram um aumento na quantidade destes líquens bem como na freqüência de formas claras das mariposas embora a correlação com a diminuição da poluição ainda não possa ser esclarecida. (...)

Para continuar o texto: http://biociencia.org/index.php?option=com_content&task=view&id=45&Itemid=83

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Convocação para Atividades Finais de DP - Biologia

Segue a relação dos alunos e o que ainda precisam apresentar para completar as suas progressões parciais em Biologia.
Cabe salientar que o Trabalho IV deverá ser entregue no máximo na 2a. aula da semana do dia 18/10, sem atrasos. Caso não entregue a atividade o aluno deverá apresentar seminário, consulte a professora para saber o tema!
Para os alunos que para compor a nota final além do trabalho precisam também apresentar o seminário, cujo título segue logo após o nome, lembre-se que a apresentação se dará na 1a. aula da semana do dia 08 de novembro.

Prepare-se e bom trabalho a todos.

2A 16 João Silvestre - Aprovado

2A 20 Kauan Ferreira - Trabalho IV

2A 30 Rhaissa Eline de Oliveira Rodrigues  - Trabalho IV 

2A 33 Thiago Rodrigues Saraiva - Aprovado

3A 10 Edson Hipolito de Almeida - Aprovado

3B 1 Amanda L de Barros - Trabalho IV

3B 32 Wesley Morgado - Trabalho IV

3C 22 Paulo Vinicius Pinheiro de Souza - Aprovado

3C 32 Wendel L Castilho - Trabalho IV 

2A 4 Ayakan Kale Policarpo Codeiro - Trabalho IV e Seminário: Qual a relação de câncer de pele e a incidência de raios solares.?

2A 6 Beatriz M de Oliveira  - Trabalho IV e Seminário:  Como tratar o lixo orgânico nas grandes cidades.

2A 16 Jéssica Santos Oliveira  - Trabalho IV e Seminário: Como tratar o lixo orgânico nas grandes cidades.

2A 21 Kelyane O da Silva - Trabalho IV e Seminário:  Como se dá o tratamento de água que abastece São Caetano do Sul.

2A 22 Letícia R de Oliveira - Trabalho IV e Seminário:  Como se dá o tratamento de água que abastece Santo André?

2B 12 Felipe Gugias  - Trabalho IV e Seminário:  As 5 principais hidrelétricas do Brasil e do Mundo. Características, funcionamento, localização.

2B 13 Gabriel Golfetto Clemente  - Trabalho IV 

2B 18 Kae Pereira Zacarias  - Trabalho IV e Seminário:  Análise sobre os lixões e o chorume produzido.

2B 20 Laís M da Silva  - Trabalho IV e Seminário:  Poluição auditiva, visual, luminosa. Causas, conseqüências e como combate-las.

2B 24 Nicolaz W. Vaz  - Trabalho IV e Seminário:  Os 3 R da Reciclagem: Reciclar, Reutilizar, Reduzir (uso)

2B 28 Roberto Silva Sanches Eusebio  - Trabalho IV e Seminário:  Aquecimento Global. Seus efeitos no nosso cotidiano.

2B 33 Vanessa Sobral  - Trabalho IV

2C 18 Guilherme Saraiva de Souza  - Trabalho IV e Seminário:  Desertificação. Ainda existe?

2C 25 Ricardo Munhoz Lins  - Trabalho IV e Seminário:  O que acontece com as calotas polares nos dias atuais?

2C 31 Stephanie Guedes Rocha  - Trabalho IV e Seminário:  O que é efeito estufa, quais suas implicações com o aquecimento global?

2D 4 Brendon H. de Souza - Trabalho IV e Seminário: Quais as consequências do derramamento de petróleo no Golfo do México?

2D 6 Bruno de O. Xavier  - Trabalho IV e Seminário:  O que é Relação Harmônica? Quais os Tipos? Exemplifique

2D 11 Dimitria Oliveira  - Trabalho IV e Seminário: O que é Relação Desarmônica? Quais os Tipos? Exemplifique

2D 22 Misael de O. Fonseca  - Trabalho IV

2D 30 Roberta B. Louredo  - Trabalho IV e Seminário:  Análise sobre os Aterros Sanitários

2E 23 Raphael Cavalcante  - Trabalho IV e Seminário:  Camada de Ozônio. Amiga ou Inimiga.

2E 40 Sarah Paula S de Oliveira  - Trabalho IV e Seminário:  Quais os principais metais explorados no Brasil e qual o comprometimento para a biodiversidade ?

2F 1 Ailton Souza Silva  - Trabalho IV e Seminário:  As 5 principais termoelétrica do Brasil e do Mundo. Características, funcionamento, localização.

2F 20 Leonardo A de Lima  - Trabalho IV e Seminário: Com o derramamento de petróleo, quais as consequências para a biodiversidade ?

2F 21 Letícia Vieira Russo  - Trabalho IV e Seminário: O que é sanenamento básico? Qual a disponibilidade de saneamento básico nas diferentes regiões brasileiras e qual o impacto para a população?

2F 23 Luan A. Fernandes da Silav  - Trabalho IV 

3A 14 Igor Pereira  - Trabalho IV e Seminário: Comente sobre o transporte através da membrana.

3A 15 Ilson Fusco - Trabalho IV e Seminário: Comente sobre a 1a Lei de Mendel, exemplificando.

3A 21 Miuri Siqueira  - Trabalho IV e Seminário: Comente sobre a 2a. Lei de Mendel, exemplificando.

3C 15 Jéssica Forenzi - Trabalho IV e Seminário: Síntese de Proteína e as Organelas Envolvidas.

3D 1 Adonias F Coutinho  - Trabalho IV e Seminário: DNA, Clonagem e Transgênicos. O que é? Para que funciona?

3D 12 Felipe Ramanholi  - Trabalho IV e Seminário:Célula Tronco: Prós e Contra.

3D 18 Juliana Azevedo Dantas  - Trabalho IV 

3D 38 Thiago Valverde de Lacerda  - Trabalho IV e Seminário: O que são seres Procariontes e Eucariontes? Exemplifique.

3D 43 Claudicéia Silva de Lima  - Trabalho IV e Seminário: Alimentos transgênicos: aliados ou bandidos?

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Lista do TOP FIVE em Biologia - 3o Bimestre

6a. Série A 

1ª. Danielly R da Silva - Nota 10
2ª. Eveline O Quadrado - Nota 10
3ª. Fabiana A e Silva - Nota 10
4ª. Alice Cristina Silva - Nota 8
5ª. Pedro Vicente Portiolli - Nota 7

1a. Série A
1ª. Ana Maria Ap Silverio de Lira  - Nota 10
2ª. José Guilherme Gomes - Nota 8
3ª. Jefferson Quiles dos Santos - Nota 8
4ª.  Jackson Rodrigues Alves - Nota 8
5ª.  Jackeline Ferreira - Nota 7

1a. Série B
1ª.  Alex Vidal da Silva - Nota 9
2ª. Amanda Oliveira de Brito - Nota 9
3ª.  Ana Carolina Bezerra Crepaldi - Nota 9
4ª.  Guilherme Sorupa Leite - Nota 7
5ª.  Adriano Matos Neves - Nota 7

1a. Série C
1ª.  Sheila dos Santos Alves - Nota 10
2ª.  Carlos Henrique Liberal Bispo - Nota 10
3ª.  Maria Gabrielli Pereira Leal - Nota 10
4ª.  Priscila Maria Rocha da Silva - Nota 9
5ª.  Amanda Fernandes dos Santos - Nota 7

1a. Série D
1ª. Sidney Pereira da Silva - Nota 7
2ª.  João Francisco Araujo Nogueira - Nota 7
3ª.  Ivaldo Batista Mauricio - Nota 7
4ª. Jessica de Souza Calixto - Nota 7
5ª.  Hernani Pereira Gomes - Nota 6

1a. Série F
1ª. Miguel Martins Bittar - Nota 9
2ª.  Maira dos Santos Alves - Nota 9
3ª.  Allison Silva de Carvalho - Nota 8
4ª.  Otávio S Oliveira - Nota 7
5ª.  Kamila Ribeiro de Moura - Nota 7

2a. Série A
1ª.  Guilherme Nascimento de Lima - Nota 10
2ª.  Monique Paiva Medeiros - Nota 10
3ª.  Paulo Henrique Prates - Nota 9
4ª.  Camila M. M. Duarte - Nota 9
5ª.  Beatriz Santana da Silva - Nota 10

2a. Série B
1ª. Antonio Carlos Paes Vieira - Nota 8
2ª. Caroline Amaral Avila - Nota 8
3ª. Wesley Silva de Oliveira - Nota 7
4ª. Gustavo Piloto - Nota 7
5ª. Patricia Gonlçaves da Silva - Nota 6

2a. Série C
1ª. Carina da Silva Santos - Nota 8
2ª. Leticia Lorayne Macedo - Nota 8
3ª. Vinicius de Paula - Nota 7
4ª.  Jaqueline Pereira das Silva - Nota 7
5ª.  Francielle Nolli - Nota 6

2a. Série D
1ª.  José Denis Alves da Silva - Nota 10
2ª.  Johnathan Moreira da Silva - Nota 9
3ª. Paulo Vitor Freitas de Oliveira - Nota 9
4ª. Camila Morais da Silva - Nota 7
5ª. Regiane do Nascimento Vieira - Nota 7

2a. Série E
1ª. Ana Paula de Oliveira - Nota 8
2ª.  Mayara Cunha da Conceição - Nota 8
3ª.  Louise S L de Moraes - Nota 7
4ª.  Ana Rosa Lopes de Oliveira - Nota 6
5ª Sillas de Almeida Lopes - Nota 5

2a. Série F
1ª.  Alex Marques da Silva - Nota 8
2ª.  Anderson Curvelo Costa - Nota 8
3ª.  Barbara Carrera Lopes - Nota 8
4ª.  Denise Cristina de Franca dos Anjos - Nota 8
5ª.  Alef Marques da Silva - Nota 7
6ª.  Yasmin Eredia Beato - Nota 7

3a. Série A
1ª. Yohan Vieira Duarte Torres - Nota  9
2ª. Paola Sivlerio Sant Ana - Nota 8
3ª. Ana Carolina da Silva - Nota 8
4ª. Janaina Proença dos santos - Nota 8
5ª. Andressa Lima de Campos - Nota 8

3a. Série B
1ª. Bruno Sabino de Deus - Nota 10
2ª. Marcello Thiago G Buzzato - Nota 9
3ª. Lorrana Cristina Nazare Martins - Nota 8
4ª. Joir Vicente Alvarenga dos santos - Nota 8
5ª. Wesley Kaique Morgando - Nota 8

3a. Série C
1ª. Ivanilda dos Santos Silva - Nota 10
2ª. Caroline Gomes da Silva - Nota 9
3ª. Sabrina de Andrade Martinez - Nota 9
4ª. Caique Fernandes Rocha - Nota 8
5ª. Vitoria de Olvieira Silva - Nota 8

3a. Série D
1ª. Daniel Di Stasio da Silva - Nota 9
2ª. Walter Maike de Souza Silva - Nota 9
3ª. Arley Ferreira de Almeida - Nota 9
4ª. Layde Raquel Farias - Nota 9
5ª. Jeane Gisele da Silva - Nota 8



Parabéns a Todos!!!
Saudações biológicas!!!

Vale lembrar mais uma vez que a atividade mais importante é a realizada em sala de aula!
Participe!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Leiam a resposta de uma professora do Paraná a reportagem da revista Veja sobre a educação no Brasil.

Sou professora do Estado do Paraná e fiquei indignada com a reportagem da jornalista Roberta de Abreu Lima “Aula Cronometrada”.

É com grande pesar que vejo quão distante estão seus argumentos sobre as causas do mau desempenho escolar com as VERDADEIRAS razões que  geram este panorama desalentador.

Não há necessidade de cronômetros, nem de especialistas para diagnosticas as falhas da educação. Há necessidade de todos os que pensam que: “os professores é que são incapazes de atrair a atenção de alunos repletos de estímulos e inseridos na era digital” entrem numa sala de aula e observem a realidade brasileira. Que alunos são esses “repletos de estímulos” que muitas vezes não têm o que comer em suas casas quanto mais inseridos na era digital? Em que pais de famílias oriundas da pobreza trabalham tanto que não têm como acompanhar os filhos em suas atividades escolares, e pior em orientá-los para a vida? Isso sem falar nas famílias impregnadas pelas drogas e destruídas pela ignorância e violência, causas essas que infelizmente são trazidas para dentro da maioria das escolas brasileiras. Está na hora dos professores se rebelarem contra as acusações que lhes são impostas. Problemas da sociedade deverão ser  resolvidos pela sociedade e não somente pela escola.

Não gosto de comparar épocas, mas quando penso na minha infância, onde pai e mãe, tios e avós estavam  antes e onde era inadmissível faltar com o respeito aos mais velhos, quanto mais aos professores e não cumprir as obrigações fossem escolares ou simplesmente caseiras, faço comparações com os alunos de hoje “repletos de estímulos”. Estímulos de quê? De passar o dia na rua, não fazer as tarefas, ficar em frente ao computador, alguns até altas  horas da noite??? (quando o têm), brincando no Orkut, ou o que é ainda p ior envolvidos nas drogas. Sem disciplina seguem perdidos na vida.

Realmente, nada está bom. Porque o que essas crianças e jovens procuram é amor, atenção, orientação e ...disciplina.

Rememorando, o que tínhamos nós, os mais velhos, há uns anos atrás de estímulos? Simplesmente:  responsabilidade, esperança,  alegria. Esperança que se estudássemos teríamos uma profissão,
seríamos realizados na vida. Hoje os jovens constatam que se venderem drogas vão ganhar mais. Para quê o estudo? Por que numa época com tantos estímulos não vemos olhos brilhantes nos jovens? Quem, dos mais velhos, não lembra a emoção de somente brincar com os amigos, de ir aos piqueniques, subir em árvores? E, nas aulas, havia respeito, amor pela pátria.. Cantávamos o hino nacional diariamente, tínhamos aulas “chatas” só na lousa e sabíamos ler, escrever e fazer contas com fluência. Se não soubéssemos não iríamos para a 5ª. Série.

Precisávamos passar pelo terrível, mas eficiente, exame de admissão. E tínhamos motivação para isso.
Hoje, professores “incapazes” dão aulas na lousa, levam filmes, trabalham com tecnologia, trazem livros de literatura juvenil para leitura em sala-de-aula (o que às vezes resulta em uma revolução), levam alunos à biblioteca e outros locais educativos (benza, Deus, só os mais corajosos!) e, algumas escolas públicas onde a renda dos pais comporta, até à passeios interessantes, planejados, minuciosamente, como ir ao Beto Carrero. E, mesmo, assim, a indisciplina está presente, nada está bom. Além disso, esses  mesmos professores “incapazes” elaboram atividades escolares como provas, planejamentos, correções nos fins-de-semana, tudo sem remuneração;

Todos os profissionais têm direito a um intervalo que não é cronometrado quando estão cansados. Professores têm 10 minutos de  intervalo, onde tem que se escolher entre ir ao banheiro ou tomar às pressas o cafezinho. ( Professor de Educação infantil, não tem interva-lo).

Todos os profissionais têm direito ao vale alimentação, professor tem que se sujeitar a um lanchinho, pago do próprio bolso, mesmo que trabalhe 40 h.semanais.  E a saúde?

É a única profissão que conheço que embora apresente atestado médico, tem que repor horas aulas. Plano de saúde? Muito precário. Há de se pensar, então, que são bem remunerados... Mera ilusão! Por isso, cada vez
vemos menos profissionais nessa área, só permanecem os que realmente gostam de ensinar, os que estão aposentando-se e estão perplexos com  as mudanças havidas no ensino nos últimos tempos e os que aguardam uma chance de “cair fora”.Todos devem ter vocação para Madre Teresa de Calcutá, porque por mais que  esforcem-se em ministrar boas aulas,  ainda ouvem alunos chamá-los de “vaca”,”puta”, “gordos “, “velhos” entre outras coisas. Como isso é motivante e temos ainda que ter forças para motivar. Mas, ainda não é tão grave. Temos notícias, dia-a-dia, até de agressões a professores por alunos. Futuramente, esses mesmos alunos, talvez agridam seus pais e familiares.

Lembro de um artigo lido, na revista Veja, de Cláudio de Moura Castro, que dizia que um país sucumbe quando o grau de incivilidade de seus cidadãos ultrapassa um certo limite. E acho que esse grau já ultrapassou. Chega de passar alunos que não merecem.  Assim, nunca vão saber porque devem estudar e comportar-se na sala de aula; se passam sem estudar mesmo, diante de tantas chances, e com indisciplina... E isso é um crime! Vão passando série após série, e não sabem escrever nem fazer contas simples. Depois a sociedade os exclui, porque não passa a mão na cabeça. Ela é cruel e eles já são adultos.

Por que os alunos do Japão estudam? Por que há cronômetros? Os professores são mais capacitados? Talvez, mas o mais importante é porque há disciplina. E é isso que precisamos e não de cronômetros. Lembrando: o professor estadual só percorre sua íngreme carreira mediante cursos, capacitações que são realizadas, preferencialmente aos sábados. Portanto, a grande maioria dos professores está constantemente estudando e aprimorando-se.

Em vez de cronômetros precisamos de carteiras escolares, livros, materiais, quadras-esportivas cobertas (um luxo para a grande maioria de nossas escolas), e de lousas, sim, em melhores condições e em maior quantidade. Existem muitos colégios nesse Brasil afora que nem cadeiras possuem para os alunos sentarem. E é essa a nossa
realidade! E, precisamos, também, urgentemente de educação para que tudo que for fornecido ao aluno não seja destruído por ele mesmo  Em plena era digital, os professores ainda são obrigados a preencher os tais livros de chamada, à mão: sem erros, nem borrões (ô, coisa arcaica!), e ainda assim ouve-se falar em cronômetros.

Francamente !!!

Passou da hora de todos abrirem os olhos e fazerem algo para evitar uma calamidade no país, futuramente. Os professores não são culpados de uma sociedade incivilizada e de bandidismo, e finalmente, se os professores até agora não responderam a todas as acusações de serem despreparados e “incapazes” de prender a atenção do aluno com aulas motivadoras é porque não tiveram TEMPO. Responder a essa reportagem custou-me metade do meu domingo, e duas turmas sem as provas corrigidas.

Fonte: E-mail

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Listagem dos Alunos e sua Situação nas D.P. de Biologia

Clique na Imagem para Ampliá-la.
 
As atividades serão realizadas nas respectivas aulas de cada turma
 durante a 1a aula da semana de 27/09 à 30/09.
 
Os demais alunos não mencionados na listagem acima,
deverão realizar as atividades de avaliação,
 referente a cada bimestre do ano letivo.
 As atividades serão nas suas 1as aulas de biologia
da semana de 27/09 à 30/09, como também entregar
 o Trabalho IV, de acordo com sua série, conforme as recomendações.
 
Para se preparar para as avaliações consulte: 
 
Onde consta todo o conteúdo pertinente a cada série.

PS: 1) Os alunos que se sairem muito bem nas provas serão dispensados do trabalho a ser entregue em 25/10.
2) Os alunos que não atingirem o conceito mínimo nas avaliações e no último trabalho deverão procurar a professora para tomar ciência do tema que deverá ser apresentado como seminário na semana de 8 a 12 de novembro de 2010.

 
 
 

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Netinho foi condenado por outra agressão

Juiz condenou cantor por ter dado "chave de braço" em supervisora da Vasp em 2001; assessoria não comentou o caso.

Candidato ao Senado já foi acusado de espancar ex-mulher; antigos vizinhos estranham a atitude violenta

Por: DANIELA LIMA e FLÁVIO FERREIRA
DE SÃO PAULO

Netinho de Paula (PC do B), que hoje divide a liderança em São Paulo na disputa pelo Senado, costuma chamar de pontual o episódio em que foi acusado de espancar a ex-companheira Sandra Mendes, em 2005.
O atual candidato, porém, foi condenado por agredir e ofender uma funcionária da Vasp, em julho de 2001.
O vereador foi processado pelo Ministério Público sob a acusação de ter dado uma "chave de braço" em Nilda Pisetta, supervisora da extinta companhia aérea. Em novembro de 2002, como punição, foi obrigado a pagar cem latas de leite em pó.
Mas o cantor teve de desembolsar mais para quitar o episódio. Nilda apresentou à Justiça uma ação civil de indenização por danos morais contra Netinho -que na atual corrida pelas duas vagas de senador está empatado com a petista Marta Suplicy, sua colega de chapa.
Na sentença, o juiz afirmou que "ficou cabalmente demonstrado" que Nilda foi agredida, "com virulência desproporcional" e condenou Netinho ao pagamento de R$ 80 mil.

ACORDOS
Após a decisão os dois fizeram um acordo, mas o valor negociado não foi publicado no "Diário Oficial" do Estado. Procurada pela Folha para comentar o caso, a assessoria de Netinho não respondeu.
A agressão à ex-mulher, que ocorreu quatro anos após o episódio com a supervisora da Vasp, também foi resolvida com um acordo.
No dia 2 de fevereiro de 2005, Sandra denunciou o espancamento. Cerca de um mês depois da denúncia, os dois afirmaram à Justiça terem entrado em acordo, o que finalizou o processo.
A ex-mulher do candidato iniciou a ação por um escritório de advocacia, que foi afastado do caso após o início da mediação do acordo.
Esse escritório reivindica até hoje o pagamento de honorários pelos serviços prestados a Sandra. À Justiça Netinho declarou ser pobre e pediu para não arcar com as despesas do processo.
O acordo com a ex-mulher foi registrado em cartório, fora dos tribunais, e está anexado ao processo movido pelo escritório contra Netinho.
Segundo o documento, o cantor se comprometeu a pagar R$ 850 mil a Sandra, R$ 300 mil à vista, e o restante em 12 prestações. Ela também teve direito a um carro de luxo e a um plano de saúde por dois anos.
Quem conheceu Netinho durante a juventude estranha a violência demonstrada após a fama. Na Cohab de Carapicuíba, os antigos vizinhos lembram de um rapaz animado. "Ele ensaiava com os meninos no parquinho aqui na frente", conta Teresinha Rodrigues da Paixão, de 71 anos, que é vizinha do prédio onde Netinho viveu.
"Os meninos" a que Teresinha se refere são os oito músicos que, ao lado de Netinho, foram alçados à fama com a banda Negritude Júnior, na década de 1990. Netinho era o vocalista, e foi "convidado a sair" do conjunto em 2001.
Dois dos integrantes ouvidos pela Folha afirmaram que Netinho saiu porque estava fechando contratos à sombra da banda.
"A gente só se deu conta do que estava acontecendo no dia em que ele fechou com uma emissora de TV", contou Nenê, que toca contra-baixo e violão no grupo.
Em entrevista à Folha, publicada na última quarta-feira, Netinho disse sentir saudade dos ex-companheiros. "Mas não tenho do que reclamar. Segui um caminho bom pra mim", afirmou.

OUTRO PROCESSO
O grupo entrou com um processo para impedir que Netinho continuasse usando a marca Negritude em seus negócios. A ação correu em segredo de Justiça, a pedido da banda e a contragosto da advogada, Luzia Maglione.
"Eles tinham uma preocupação muito grande. Não queriam alimentar boatos. Pediram o segredo e também não quiseram cobrar indenização", contou a advogada.
O processo foi iniciado em 2003 e pedia apenas interrupção do uso da marca. A decisão saiu no fim de 2006, com ganho para a banda. Mas o juiz estabeleceu que, não cumprindo a determinação, Netinho pagasse multa de R$ 3.500 por dia de uso indevido da marca.
A demora em seguir a determinação da Justiça gerou uma dívida de cerca de R$ 400 mil do cantor com a banda, que não foi paga até hoje. "Ele não tem nada no nome dele. A maior parte das ações das empresas ficam no nome dos filhos", disse Luzia. A assessoria do cantor não respondeu sobre essa dívida.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po2609201017.htm

Veja também:  A falta de sinceridade dos sorrisos de Netinho e Tiririca .

sábado, 25 de setembro de 2010

Convocação para Dependência em Biologia

Conteúdo a ser abordado nas atividades avaliatórias de Dependência em Biologia.

1a. Série:
(para alunos que frequentam a 2a. Série do Ensino Médio)
Fluxo de energia e matéria: Cadeia Alimentar e Teia Alimentar
Pirâmides de Energia e Biomassa
Ecossitemas e Biomas
Ciclos Biogeoquímicos
Relações Harmônicas e Desarmônicas

2a. Série:
(para alunos que frequentam a 3a. Série do Ensino Médio)
Bioquímica (lipídios, carboidratos, proteínas, etc)
Citologia (estudo das células e suas organelas)
Histologia
Divisão Celular
Genética: 1a. Lei e 2a. Lei de Mendel e suas variações

Todos os temas relacionados foram trabalhados no material apostilado,mas poderá ser encontrado nos livros didáticos de biologia.

Bom Estudo!!
Saudações biológicas!!
PS: 1) Os alunos que se sairem muito bem nas provas serão dispensados do trabalho a ser entregue em 25/10.
2) Os alunos que não atingirem o conceito mínimo nas avaliações e no último trabalho deverão procurar a professora para tomar ciência do tema que deverá ser apresentado como seminário na semana de 8 a 12 de novembro de 2010.

Engenharia sustentável e as cidades do futuro

A construção civil cria, todos os dias, novas tecnologias verdes e maneiras diferentes de aplicá-las. Conheça alguns projetos de bairros e cidades que prometem mudar nossos hábitos.
Por Layse Ventura


A preocupação com a sustentabilidade já ganhou as pranchetas dos engenheiros. A nova maneira de pensar verde na construção civil adota medidas como a escolha de materiais menos poluentes e o descarte correto dos resíduos gerados pela obra.
Para regulamentar o setor sustentável, algumas certificações estão disponíveis no mercado. São selos que medem e pontuam parâmetros de sustentabilidade em diversas áreas de uma construção.
As mais conhecidas são o selo norte-americano Leed (Leadership in Energy and Environmental Design), o britânico Breeam (BRE Environmental Assessment Method) e o brasileiro Aqua (Alta Qualidade Ambiental).

Prédios do futuro
Novas tecnologias chegam ao mercado todo dia, garantindo a eficiência nas construções de prédios em diversas regiões do mundo, até mesmo no Brasil. São projetos que prezam pelo aproveitamento da luz natural, melhor gestão de água, coleta seletiva de lixo e economia de ar condicionado, um dos grandes vilões do aquecimento global.
O Eldorado Business Tower, em São Paulo, foi o primeiro prédio da América Latina a receber o mais alto nível de certificação Leed, o selo Platinum. Ele economiza 1/3 no consumo de água potável e 100% na irrigação, além de reduzir o consumo de energia em 18%.

Cidades do futuro
Alguns dos chamados engenheiros verdes são mais ambiciosos e projetam cidades inteiramente sustentáveis. As cidades do futuro vão gerar menor impacto ambiental e promover o desenvolvimento sustentável mesclado à vida urbana.
A cidade de Masdar, nos Emirados Árabes, será a primeira sem produção de carbono e lixo. O empreendimento, que deve estar pronto em 2016, terá um investimento de US$ 13 bilhões e capacidade para mais de 47 mil habitantes.
Para atingir a meta de emissão zero de carbono, o projeto investe na utilização de transportes públicos, geração de energia através de recursos renováveis e o abastecimento de água feito por meio de coleta fluvial e dessalinização.

Bairros
Visando melhorar a qualidade de vida da comunidade, cidades como Portland, nos Estados Unidos, incentivam a construção de bairros nos quais o cidadão trabalha, estuda, mora e tem atividades de lazer em um mesmo local. E o melhor: tudo isso se locomovendo a pé, o que ajuda cortar as emissões de carbono provenientes do transporte.
No Brasil, esta iniciativa acontece na cidade de Pedra Branca, na Grande Florianópolis. A cidade estimula a caminhada e bicicletas como meios de locomoção. Além disso, preza por desenvolver o senso de cidadania sustentável, na qual cada um desempenha um papel fundamental no bem estar da comunidade.

Casa verde
Mas nem sempre é preciso gastar uma fortuna para se ter uma casa mais ecológica. Sustentabilidade é mais uma forma de pensar do que a adoção de práticas isoladas. A simples troca de lâmpadas incandescentes por fluorescentes, que duram dez vezes mais, economiza 80% de energia.
Para aqueles que desejam construir ou reformar suas casas, umas das soluções disponíveis no mercado é o sistema de captação da água da chuva, que economiza na conta e é garantia de abastecimento para a casa inteira. E para aquecer esta água nada melhor do que utilizar a energia solar. Com essa tecnologia se gasta 30% a menos de energia elétrica.

Fonte: http://opiniaoenoticia.com.br/vida/meio-ambiente/engenharia-sustentavel-e-as-cidades-do-futuro/?ga=dsf

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Lista do Oscar - 3o Bimestre 2010

Os Melhores Alunos de Cada Série
1A - Ana Maria A Silverio de Lira - Nota 10
1B - Alex Vidal da Silva - Nota 9 (consecutivo)
1C - Carlos Henrique Liberal Bispo - Nota 10
        Sheila dos Santos Alves - Nota 10
1D - Sidney Pereira da Silva - Nota 7
1F - Miguel Martins Bittar - Nota 9

2A - Monique Paiva Medieros - Nota 10
2B - Antonio Carlos Paes Vieira - Nota 8
2C - Carina da Silva Santos - Nota 8 (consecutivo)
2D - José Denis Alves da Silva - Nota 10 (consecutivo)
2E - Ana Paula de Oliveira  - Nota 8
2F - Barbara Carrera Lopes - Nota - 8 (pela 3a. vez)
        Anderson Curvelo Costa - Nota 8

3A - Yohan Vieira Duarte Torres - Nota 9 (pela 3a. vez)
3B - Bruno Sabino de Deus - Nota 10 (pela 3a. vez)
3C - Ivanilda dos Santos Silva - Nota 10 (pela 3a. vez)
3D - Walter Maike de Souza Silva - Nota 9

Os Melhores Alunos da Série
6a. Série/ 7o Ano - Danielly R da Silva - Nota 10
Eveline O Quadrado - Nota 10
1a. Série - Sheila dos Santos Alves
2a. Série - José Denis Alves da Silva
3a. Série - Bruno Sabino de Deus

Melhor Aluno de Biologia do 2o. Bimestre
Sheila dos Santos Alves - Nota 10

Parabéns a todos que alcançaram o objetivo!!
Lembrando que a sua participação em sala é o quesito mais importante durante o bimestre!
E a todos, sucesso para o próximo bimestre!!!
Saudações biológicas!!!


Aguarde a publicação do TOP 5!
Será dia 30/09/2010